CLICK HERE FOR THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES »

Sejam bemvindos!

Este Blog junta várias dicas de como ter uma beleza e saúde natural sem grandes gastos.


quarta-feira, 30 de abril de 2008

Anti-rugas de abacaxi.

É uma das frutas com maior poder antioxidante, rica em vitamina C e que promove milagres contra rugas e marcas de expressão.

Modo de fazer: Retire a casca do abacaxi e corte a polpa em cubinhos. Amasse 4 colheres (sopa) da fruta e acrescente 2 colheres (sopa) de farinha de trigo e 4 colheres (sopa) de farinha de arroz, até obter uma pasta consistente. Passe a mistura no rosto e retire depois de 30 minutos com água morna.

segunda-feira, 28 de abril de 2008

O que é preciso fazer para acabar com a flacidez nos braços?

Se for uma flacidez muscular, exercícios localizados para o tríceps, o “músculo do tchau”, resolverão. O melhor é procurar a ajuda de um profissional, que indicará os exercícios específicos. “As mulheres têm tendência a acumular gordura na região e, nesse caso, a musculação tem pouco resultado.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

O que é melhor para perder peso rapidamente?

O que é melhor para perder peso rapidamente: praticar corrida ou fazer musculação?
Exercícios aeróbicos, como a corrida, promovem a perda direta de gordura, mas não aceleram o metabolismo. A musculação não queima gordura diretamente, mas acelera o metabolismo, já que faz com que o corpo use a gordura como combustível para o exercício. “O ideal é fazer os dois. Se você praticar somente exercícios aeróbicos, pode até emagrecer, mas corre o risco de apresentar certa flacidez, que pode ser evitada com a musculação”. “Uma alimentação correta também é fundamental para perder peso”.

quarta-feira, 23 de abril de 2008

Vem ai o Verâo, cuidado com o sol...

O verão chega e bate aquela vontade absurda de praia. Pele bronzeada, areia, mar... Não há como negar, o sol deixa a gente mais feliz! Ele é gostoso, mas também é perigoso. A lista dos males pode até incluir o câncer de pele, mas, com certeza, em todos os casos, provoca o envelhecimento precoce. O sol causa rugas, flacidez e manchas, pois provoca alterações no DNA das células. Fique ligada: a proteção não só na praia, mas também no dia-a-dia, não é frescura. Principalmente no verão.

Escudo tecnológico

A arma mais efetiva para se proteger do sol é o filtro solar. Para a felicidade geral da nação, a indústria cosmética hoje oferece protetores leves, não gordurosos e fáceis de espalhar. Com tantas opções, você deve estar se perguntando como escolher o filtro ideal. Antes de se decidir por textura, cheiro e embalagem confira se o produto oferece proteção contra raios UVB e UVA. A proteção contra os raios UVB é informada pelo valor do FPS (que, para a praia, não deve ser menor do que 30, afirmam os dermatologistas). Quanto à proteção UVA, ainda não há uma padronização, mas você pode procurar no rótulo frases como Alta Proteção UVA, *** UVA e +++ UVA.

Engula essa!
Os chamados protetores orais viraram febre lá fora e, no Brasil, começam a ter fãs, principalmente depois que foram autorizados pelas agências de saúde da Europa e dos Estados Unidos. Essas pílulas contêm, na verdade, um complexo antioxidante com ação antiinflamatória, o que reduz os danos causados pelo sol. Seu princípio ativo é o Polypodium leucotomos, um antioxidante extremamente poderoso. Estudos mostraram que o protetor oral minimiza os danos solares e diminui a agressão ao colágeno, mas ainda não podemos afirmar que ofereça uma proteção plena. A aplicação tópica do filtro não deve ser dispensada.

Vista a camisa
Outro tipo de proteção cada vez mais popular é a roupa com FPU (Fator de Proteção Ultravioleta), de marcas como Sun Cover e UVLine (vendidas inclusive pela internet). A roupa ideal contra os raios solares deve oferecer proteção química (com filtros adicionados ao tecido) e ter uma trama adequada, caso da poliamida.

Óculos com filtro já!
Você sabia que os olhos sofrem tanto quanto a pele com os efeitos da radiação solar? Diversas doenças oculares, como a catarata, estão diretamente ligadas ao sol. Use sempre óculos ou lentes de contato que possuam filtro UV. Dica fashion: neste verão, tamanho é documento – quanto maior a armação dos óculos escuros, melhor.

terça-feira, 22 de abril de 2008

Riqueza Brasileira

Muito conhecida e consumida, essa fruta está se revelando um alimento importantíssimo em termos nutricionais e funcionais. Descubra todo o seu poder e veja por que ela não pode faltar na sua mesa

SIMONE SERPA FOTOS: PRISCILA PRADE

Há algumas curiosidades a respeito do caju. Para começar, a fruta é a castanha e sua haste de sustentação (pedúnculo) é o caju propriamente dito. É dela que se extrai o suco, hoje um dos mais consumidos no Brasil na forma industrializada, só perdendo para o de laranja. Várias pesquisas realizadas nas universidades do Brasil e até da Europa vêm chamando a atenção para esse alimento tão barato, rico e conhecido (especialmente no nordeste).

Segundo Geraldo Arraes Maia, professor da Universidade Federal do Ceará na área de Tecnologia de Frutas e pesquisador do CNPq, o caju tem sido muito procurado não só por seu sabor exótico e os componentes nutricionais, mas também por suas propriedades funcionais. "Os compostos fenólicos, a vitamina C, os carotenóides e as antocianinas formam o grupo de substâncias que têm ação antioxidante. São elas que evitam a formação dos radicais livres, moléculas que danificam as células e provocam uma série de doenças degenerativas, problemas cardíacos e alguns tipos de câncer".

Estudos europeus indicam que todas as frutas que concentram ativos antioxidantes trazem benefícios para a saúde, tanto que os órgãos fiscalizadores da Europa estão permitindo, inclusive, que se acrescente essa informação nos rótulos dos produtos.

Mais vale um caju do que 3 laranjas

Um complexo de substâncias presentes no caju faz com que ele seja um poderoso antioxidante, que protege as células do corpo

Na questão nutricional o caju também tem muito a oferecer. Ele é rico em carboidratos, fibras, minerais (como cálcio, fósforo e ferro), vitamina C e complexo B. Para se ter uma idéia, ele tem três vezes mais vitamina C do que a laranja. Enquanto 100 ml de suco desta última contém 60 mg dessa vitamina, a mesma quantidade de suco de caju concentra de 200 a 250 mg. "Ele só perde para a acerola e para o camu-camu, uma fruta ainda não comercializada", afirma Antônio Calixto, engenheiro agrônomo e pesquisador da Embrapa Ceará. Isso tudo sem falar na castanha. "Ela tem 30% de proteína de alto valor nutritivo e é fonte importante de vitamina E, que tem sido relacionada à saúde do coração e dos órgãos reprodutores", diz o professor Geraldo. Tanta coisa boa reunida em uma fruta tão barata. Sim, porque o caju é farto no nordeste, onde é consumido in natura e também amplamente aproveitado em sucos, doces, geléias... "Ele é considerado uma das mais importantes plantações da região, pois aproveita a mão-de-obra no período de entressafra de outras culturas", explica Antônio Calixto. A agroindústria do caju é responsável por uma área plantada em torno de um milhão de hectares no nordeste, gera trabalho direto e indireto nos segmentos agrícola, industrial e de serviços para 1,5 milhão de pessoas.

falta aproveitar melhor

Apesar de tudo, ele ainda é subaproveitado. O engenheiro agrônomo destaca que o nível de utilização do pedúnculo não chega a 10%, por isso muitas pesquisas são desenvolvidas no nordeste para potencializar o aproveitamento da parte suculenta da fruta. Com isso quem ganha somos nós, os consumidores. O professor Geraldo cita exemplos, como o hambúrguer feito com as fibras do fruto, o creme da amêndoa e, o mais badalado do momento, a barrinha de caju. "Com a barra aproveitamos a fibra desidratada do pedúnculo, que é desprezada pela indústria", diz Antônio Calixto, criador da receita. Na elaboração do produto entra também o suco concentrado, o chamado mel de caju, com altíssimos teores de vitamina C. "Esse sumo superconcentrado tem 25 vezes mais vitamina C do que uma laranja e 66,5% de açúcares, que são a glicose ou frutose", ressalta o especialista. Há variações genéticas da fruta, mas elas não indicam diferenças na composição química e na qualidade nutricional. O importante é selecionar aquelas com hastes de textura firme, de tamanho grande e coloração que vai do laranja ao vermelho.

Receitas 100% nutritivas

A Embrapa desenvolveu várias receitas com caju. O objetivo é aproveitar ao máximo seus nutrientes e componentes funcionais. Experimente!

Mousse de caju

Ingredientes

2 caixas de gelatina branca sem sabor
1 xícara (chá) de água fria
2 xícaras (chá) de água fervente
2 xícaras (chá) de suco de caju
1 xícara (chá) de açúcar
½ xícara (chá) de creme de leite

Preparo

Coloque a gelatina numa tigela, adicione água fria e deixe descansar por um minuto. Ponha a água fervente e mexa até dissolver completamente. Leve à geladeira até obter a consistência de clara. Coloque a gelatina no liquidificador, junte os demais ingredientes e bata até obter um creme espumoso. Ponha em tacinhas e leve à geladeira até ficar completamente firme.

Passa de caju com açúcar mascavo

Ingredientes

45 cajus
1 kg de açúcar branco
1 kg de açúcar mascavo
5 folhas de fifigo (opcional)
suco de um limão

Preparo

Retire a castanha e a outra extremidade, lave, fure e esprema os cajus (basta dar uma achatada em cada um deles). Coloque-os em uma panela com água (o suficiente para cobri-los) e o suco de limão por 40 minutos. Escorra, ponha em uma panela cheia de água fervente e deixe no fogo por 3 minutos. Retire os cajus, espalhe numa peneira e, depois de frios, esprema-os para retirar a água. Ponha numa caçarola o açúcar branco e o mascavo, um copo de água e leve ao fogo até obter ponto de fio. Ponha os cajus nessa calda e ferva por 30 minutos com a panela tampada. Retire do fogo. No dia seguinte, volte a panela ao fogo baixo, repetindo essa operação durante 3 dias. Se a calda ficar muito grossa, coloque um pouquinho de água. Depois da última fervura, escorra o mel, espalhe os cajus numa peneira, cubra com um véu e leve ao sol para secar, virando-os diariamente. Faça isso por 5 dias, até que os cajus fiquem totalmente secos. Troque de peneira se ela estiver úmida. Passe os cajus em açúcar cristal. Guarde em vidros de boca larga, enxutos e com tampa.

Muito conhecida e consumida, essa fruta está se revelando um alimento importantíssimo em termos nutricionais e funcionais. Descubra todo o seu poder e veja por que ela não pode faltar na sua mesa

SIMONE SERPA FOTOS: PRISCILA PRADE

barrinha naturalíssima

A Embrapa Agroindústria Tropical criou uma barra de fruta com 90 % de derivados de caju. "Contém alto teor de fibras e vitamina C, e o triplo de proteínas em relação às barras de frutas tradicionais", diz o autor da receita Antônio Calixto.

Ingredientes

1 kg de açúcar mascavo
1 kg de mel de abelha
2 kg de amêndoa de castanha de caju triturada
1 kg de caju desidratado ao sol ou no forno (a fibra)
2 kg de flocos de arroz
200 g de lecitina de soja
1 lata de leite em pó
½ litro de mel de caju

Modo de preparo do xarope

Misture o mel de caju, o mel de abelha, o açúcar mascavo e a lecitina de soja e leve ao fogo em tacho até atingir o ponto de calda bem grossa.

Modo de preparo da barrinha

Os componentes secos - fibra de caju, flocos de arroz, amêndoa de castanha triturada e leite em pó - são misturados ao xarope na proporção de 58% de ingredientes secos para 42% de xarope. Mexa até conseguir uma boa textura. Modo de cortar: Use rolo de pastel para abrir e comprimir a mistura em uma fôrma de metal. Leve à geladeira por 15 minutos. Em seguida corte as barrinhas e embale com papel de alumínio para proteger o produto da umidade. A barra dura até um ano

UMA QUESTÃO DE COR

Nem sempre os problemas de pele são democráticos. A dermatologista americana Susan Taylor fala sobre as particularidades das peles morenas e negras e os melhores tratamentos

Como você definiria o termo “pele morena”?
Uso esse termo genericamente. Inclui tons de pele que vão do oliva ou amarelo a peles morenas e negras – abarca asiáticos, latinos, africanos e pessoas de origem mediterrânea. Esses biotipos são atingidos por fatores que não ocorrem em quem é caucasiano, ou seja, quem tem pele branca.

Poderia dar um exemplo?
Eles têm a pele muito sensível. Essa sensibilidade não é perceptível pela maioria das pessoas, pois os danos freqüentemente não são muito visíveis. Também são mais propensos a problemas de cicatrização e hiperpigmentação, resultantes de irritações ou inflamações.

Mas as brancas também sofrem com a inflamação.
Peles morenas e negras contêm grande quantidade de melanina, que é muito reativa. Uma espinha, por exemplo, pode resultar numa marca escura que perdura por anos. Nas peles brancas, os problemas de inflamação estão mais relacionados aos vasos sanguíneos e não à melanina e, conseqüentemente, uma mancha resultante de uma espinha pode desaparecer em alguns dias.

Que outros problemas podem ser característicos da pele morena?
Um estudo no México revelou que 80% de mulheres grávidas apresentavam melasma, caracterizado por manchas largas e irregulares. Entre a população feminina em geral, essa percentagem é somente de 10 a 20%. A pele das asiáticas, entretanto, é a mais sensível entre todos os grupos. Freqüentemente, ela sofre queimaduras quando submetida a exfoliantes à base de ácido lático. No caso das mexicanas, a reação se deve mais à predisposição hereditária. Nas asiáticas, essa irritação talvez esteja relacionada à raça.

O que de fato funciona contra as manchas?
Em termos de hiperpigmentação, cremes formulados com agentes clareadores, como hidroquinona, ácido kójico, arbutin e soja, podem ajudar a clarear as manchas. Peelings químicos e microdermoabrasões também são de grande auxílio. Estão em andamento estudos com grãos de café para combater a hiperpigmentação moderada, mas, por enquanto, só foram feitos testes em peles brancas.

O uso da hidroquinona é polêmico. Ela é realmente uma substância segura?
Não há risco desde que sejam respeitados os níveis máximos permitidos (2% em produtos comerciais e 4% em manipulados). O pior que pode acontecer é o creme causar vermelhidão ou irritação, mas isso só acontece se a pele for sensível ou alérgica ao ingrediente. Tenho verificado em meu consultório que os cremes formulados com hidroquinona são bem tolerados por peles morenas e constatei que o uso por alguns meses geralmente ajuda a clarear as manchas.

De acordo com sua experiência, que tratamentos estéticos são contra-indicados para as peles mais escuras?
Para tratar a hiperpigmentação, nós testamos um dos novos lasers fracionados (que atingem apenas a região a ser tratada, não afetando toda a extensão da pele e tornando a recuperação mais rápida). Descobrimos que os resultados são pouco significativos para a remoção de manchas em peles morenas. Lasers ablativos (mais agressivos e invasivos), como o CO2, podem causar hiper ou hipopigmentação em todos os tons de pele, mas o risco é maior para as não brancas. O que eu aconselho sempre é procurar um profissional que tenha experiência com peles mais escuras.

E em relação a técnicas de preenchimento?
Fiz vários testes com substâncias injetáveis, incluindo o Restilane. Não houve nenhuma ocorrência de quelóides, o que era a minha principal preocupação.

Isso quer dizer que os quelóides são mais freqüentes em morenas e negras?
Embora esse problema seja comum comum a todas as raças, as peles escuras são as mais afetadas. Segundo um estudo feito em Cingapura com pessoas que apresentavam quelóides, 56% delas eram chinesas, 17% malaias e 23% indianas. O quelóide pode ter como origem um corte, uma queimadura, vacina, cirurgia, tatuagem, piercing, espinha, brotoeja. O curioso é que a cicatriz não se desenvolve imediatamente após uma dessas agressões à pele. Às vezes, elas aparecem depois de meses e, em alguns casos, anos.

Existem tratamentos efetivos para combatê-los?
Quelóides são bem difíceis de tratar. Nenhum dos atuais tratamentos funciona em todos os casos. Em certas ocasiões, múltiplos procedimentos são necessários e, ainda assim, não reduzem ou eliminam as cicatrizes. De qualquer forma, vale lembrar que são necessários pelo menos de quatro a seis meses para que qualquer tratamento comece a fazer efeito.

Há outras diferenças significativas entre os vários tons de pele?
As pesquisas têm mostrado que o câncer de pele geralmente se desenvolve em áreas específicas, como as pernas de mulheres de pele branca e as costas dos homens. Nas asiáticas, africanas, americanas e em outras peles morenas, é muito comum que o câncer apareça na palma, na sola dos pés, na boca, em mucosas ou sob as unhas – e em proporção muito maior do que em peles brancas. A melanina natural do organismo oferece alguma proteção contra o câncer de pele causado pelo sol, mas ainda não se sabe por que as lesões ocorrem em áreas não expostas à radiação solar.

Todos os benefícios do pão

Deite por terra o velho mito de que engorda

Desde que não o coma em doses industriais, o que engorda no pão é apenas aquilo que lhe juntamos: doce, manteiga, queijo... Ingerido na medida certa, o pão traz inúmeros benefícios à sua alimentação: vitaminas e minerais e hidratos de carbono de absorção lenta.

As ideias erróneas que consideram o pão demasiado calórico e prejudicial para a linha comprometem a boa mesa e a saúde. Base da pirâmide alimentar, o pão é uma fonte generosa de hidratos de carbono (sobretudo de absorção lenta) e fibra, dois nutrientes essenciais.

Depois de ingeridos, os hidratos de carbono de absorção lenta fornecem energia ao organismo durante várias horas, ajudando a saciar a fome e os níveis de açúcar no sangue; a fibra, para além de contribuir também para a sensação de saciedade, facilita a digestão e previne a obstipação.

Mais: o pão contém muito pouca gordura e, se for de mistura ou integral, tem uma dose extra de fibra e é rico em minerais (magnésio e fósforo) e vitaminas (B1, em particular).

O melhor: em termos calóricos, ronda as 200 calorias por cada 100 gramas, (pão de milho: 185 kcal; pão de trigo integral: 221 kcal; pão de trigo: 289 kcal), um valor inferior ao de outros derivados dos cereais utilizados em sua substituição (por exemplo: tosta de trigo: 378 kcal/100g; gressinos: 396 kcal/100g). Precisa de mais motivos para ter sempre pão à mesa?

Os vários pães distinguem-se entre si de acordo com:

A farinha
Quando o pão é feito com farinha refinada (utiliza apenas o interior do grão do cereal: trigo, milho ou centeio) trata-se de pão branco. Quando a matéria--prima é a farinha integral (utiliza o grão completo) trata-se de pão integral. Há ainda o pão de mistura (chamado saloio ou caseiro), feito com a mistura das duas farinhas.

A água
Quanto mais água, mais oco fica, digamos assim.

Tempo de processo
Quanto mais amassado for o pão, mais mais duro e compacto fica; se fermentar mais, o miolo fica mais esponjoso.

O forno
Dependendo da utilização do forno a lenha, industrial ou a gás, a côdea será mais ou menos estaladiça e dourada.

As vantagens e os perigos de cada uma das variedades

Tostas e gressinos
Tanto as tostas como os gressinos têm menos água e mais hidratos de carbono do que o pão, o que aumenta o seu valor calórico em mais de 100 calorias por cada 100 gramas. São fáceis de digerir e cómodos para petiscar, mas é conveniente controlar a quantidade.

Integral
O pão integral contém mais fibra, vitaminas e minerais. Como não é submetido a um refinamento, mantém mais nutrientes que o resto dos pães.

Árabe
É o bem conhecido pão de pita, também denominado pão ázimo. Diferencia-se dos restantes porque não contém fermento e é ainda mais pobre em gorduras. Complete o seu valor nutritivo recheando-o com verduras.

Com especiarias ou frutos secos
Estes pães são obtidos acrescentando à massa base ervas ou especiarias, sementes de sésamo, passas ou nozes, que contêm gorduras poli-insaturadas, e ainda alguns vegetais como abóbora ou cenoura, repletos de vitaminas. Também os há com chocolate, um grande antioxidante. Devem ser ingeridos com moderação pois são mais calóricos (pão de trigo integral com sementes de sésamo: 244 kcal por 100 gramas).

Branco
O pão de forma, as carcaças, os enfarinhados, a baguette ou os pãezinhos de leite são elaborados com farinha refinada, fermento e água, sendo esta última responsável pelo seu miolo tão esponjoso. Estes pães contêm muitos hidratos de carbono de absorção rápida e nenhuma fibra. O pão de mistura e o integral têm sempre mais benefícios saudáveis.

Milho
O pão feito com farinha de milho contém mais hidratos de carbono que o tradicional, apesar de ser pobre em gorduras. É o menos calórico dos pães (185 kcal por 100 g) Se for 100% de milho é adequado para celíacos.

Soja
Fonte de isoflavonas (estrogénios vegetais), a soja pode ser uma grande aliada durante a menopausa. O pão de trigo integral com soja permite-lhe integrar esta leguminosa na sua alimentação diária.

Os benefícios do iogurte

Digestivo e rico em cálcio, é um dos alimentos mais completos que pode (e deve) ingerir diariamente

Se quiser conhecer todos os seus benefícios, basta ler as respostas às seis perguntas que se seguem. Tome nota!

Por que é que faz bem?

O iogurte tem uma composição muito semelhante à do leite, já que contém quase os mesmos nutrientes, como o cálcio e o fósforo (essenciais à manutenção de ossos e dentes saudáveis), vitaminas, minerais e proteínas (parcialmente pré-digeridas por acção das bactérias lácteas, o que permite uma melhor digestão).

A maior parte das suas qualidades deve-se à fermentação, o processo pelo qual o leite é transformado em iogurte. Neste processo, a lactose é parcialmente transformada em ácido láctico, o que facilita a assimilação em pessoas com intolerância à lactose.

Contém bactérias lácteas vivas que ajudam a regenerar a flora intestinal, inibindo a acção de bactérias patogénicas, o que confere uma protecção natural contra as infecções gastrointestinais. Estas bactérias consideradas boas parecem promover também a estimulação do sistema imunitário.

É melhor do que o leite?

As quantidades de nutrientes são semelhantes às do leite, mas o organismo absorve melhor as do iogurte, porque contém menos lactose.

As concentrações de minerais são um pouco mais elevadas no iogurte, enquanto que os níveis de chamado colesterol mau são ligeiramente mais baixos.

A diferença mais significativa é que uma grama de iogurte pode conter, no mínimo, entre 10 e 100 milhões de microrganismos vivos (lactobacillus), enquanto que o leite tem falta deles.

Quais são os mais saudáveis?

No mercado, encontra uma ampla variedade de iogurtes. Os que contêm pe- daços de fruta são mais nutritivos, apesar de serem, também, mais calóricos. Mesmo que não tenha problemas de peso ou colesterol, as variedades magras são a melhor opção. Evitam um aporte excessivo de proteínas e gordura.

Os de sabores são ricos em corantes que não têm benefícios nutricionais. É melhor optar por outras variedades ou consumi-los com moderação.

Quando passam de prazo?

O iogurte é um alimento perecível que deve ser conservado no frio, já que as suas bactérias começam a morrer acima dos 8ºC. Mal se aproxima do prazo de validade, o número de bactérias vivas diminui.

Os produtos que não precisam de frio e não contêm bactérias lácteas vivas não são iogurtes nem podem apresentar essa designação no rótulo. Contêm apenas os fermentos destas bactérias, o que faz com que careçam das suas propriedades benéficas.

Quem deve comer?

Regra geral, toda a gente, desde as primeiras até às últimas etapas da vida. A sua riqueza em cálcio faz com que o iogurte seja recomendado a crianças e adolescentes, mulheres que estejam a amamentar e na menopausa.

Também é uma boa solução para idosos, pessoas com problemas de mastigação ou em convalescença.

Pessoas cuja assimilação do leite provoque problemas digestivos ou alergias, porque o iogurte é facilmente digerível e não força o intestino.

Estudos recentes afirmam que também neutralizam a acção cancerígena, pelo que os doentes oncológicos devem ser consumidores habituais de iogurte.

Qual é a dose diária recomendada?

Os especialistas recomendam a ingestão de dois a quatro lacticínios por dia, em porções de 200 ml. Com quatro iogurtes por dia, as necessidades diárias de cálcio são bem satisfeitas, ainda que estas também possam ser cobertas através de outros derivados do leite, como o queijo, ou de alimentos como a couve e o peixe, também ricos em cálcio.

A gordura das mulheres

Saiba como resolver um problema que preocupa o sexo feminino

A maioria das mulheres acumula gordura na região das ancas e glúteos. A essa distribuição de gordura corporal atribui-se o nome de gordura ginóide, ou seja, o formato de pêra.

A massa gorda acumulada na região superior do corpo, barriga, peito e costas denomina-se de andróide e tem a forma de uma maçã.

Actualmente, a investigação científica evidencia um maior risco de doença cardiovascular nas mulheres que apresentam um perímetro da cintura superior a 88 cm, uma vez que indicia a presença de gordura visceral (gordura nos órgãos da cavidade abdominal).

Por essa razão, as mulheres com uma distribuição de gordura em formato de maçã têm um perfil de risco superior às mulheres com gordura nas ancas e glúteos, sendo já assumido, junto da comunidade científica, que este tipo de gordura pode ser protectora da doença cardiovascular.

A boa noticia é que a gordura mais prejudicial à saúde é também aquela que se elimina mais facilmente visto que é mais sensível à acção de determinadas hormonas que promovem a utilização dessa fonte de energia.

O problema e a solução

Independentemente do risco que oferece, a gordura localizada é sempre um factor perturbador para mulheres que se preocupam com a sua imagem.

Uma das soluções para este problema poderá estar na remoção cirúrgica da gordura localizada dessas regiões, que, apesar de eficaz, é um método muito intrusivo.

Outro método que proporciona resultados eficazes (sem ser intrusivo) é o emagrecimento de uma forma saudável através da ingestão de menos calorias e do dispêndio calórico aumentado através da actividade física.

Neste tipo de abordagem os efeitos são conseguidos ao longo do tempo e a alimentação saudável e a prática de actividade física são compromissos para o resto da vida, sendo os efeitos reversíveis na sua ausência.

Como pôr em prática

A alimentação adequada para o emagrecimento e perda de volume nestas regiões terá que ser hipocalórica, ou seja, inferior às nossas necessidades, para que sejam utilizadas essas fontes de gordura corporal.

No entanto, o aporte de calorias não deverá ser muito restritivo de forma a não comprometer a massa muscular corporal. Se gastamos 2.000 calorias diariamente, deveremos no mínimo ingerir 1.500 calorias, desta forma retiraremos 500 calorias diariamente ao nosso armazém de gordura corporal.

E, se gastarmos mais energia, teremos oportunidade de gastar mais gordura corporal.

Esse gasto de energia deve ser aumentado através de actividade física que promova um dispêndio calórico considerável e ao mesmo tempo promova um aumento da massa muscular de forma a não aumentar a flacidez.

O exercício adequado será o intervalado entre o trabalho cardiovascular (aulas de bicicleta, de step, a corrida, a hidroginástica) e o de resistência muscular (treinos de ginásio). Como referência, despenda diariamente 300 calorias em actividade física.

Todos os benefícios da água

Saiba como a ajuda a emagrecer e a hidratar a pele e descubra o tipo de água que faz melhor ao seu organismo

Cerca de 70% do nosso corpo é composto por água e, quem sabe se não é por essa razão que este líquido vital é o melhor remédio natural que existe. Para além disso, ajuda a emagrecer e é uma grande aliada da nossa pele.

Como cuida da sua saúde

Combate o cancro

Uma ingestão insuficiente de água aumenta o risco de padecer de cancro da bexiga e do cólon porque fomenta a concentração de substâncias tóxicas nestes órgãos. Uma ingestão adequada de água reduz o risco.

Combate as infecções

Beber entre cinco a oito copos de água por dia reduz a produção de pedras nos rins e as infecções urinárias. Para além disso, mantém as mucosas do sistema respiratório convenientemente hidratadas, e diminui o risco de infecções virais como a gripe. A água também ajuda a limitar a incidência de ataques de asma.

Cuida da boca

A saliva, que contém substâncias antibacterianas, diminui se não bebermos água. Isto favorece a presença de bactérias que provocam gengivites, cáries e outras doenças da boca.

Como mantém o seu peso

Regula o metabolismo das gorduras

Uma ingestão insuficiente de água faz com que os depósitos de gordura do nosso corpo aumentem, devido a um funcionamento incorrecto do fígado, responsável por metabolizar as gorduras e convertê-las numa fonte de energia para o organismo.

Ajuda-a a ficar saciada

A água tem um efeito saciante e, portanto, faz com que comamos menos. Para além disso, como a água que bebemos está a uma temperatura mais baixa do que a corporal, o organismo tem de queimar calorias para poder aquecê-la.

Evita a retenção de líquidos

Quando o corpo recebe pouca água interpreta-o como uma ameaça para a sua sobrevivência e compensa essa carência retendo líquidos. Para o evitar, basta fornecer-lhe toda a água de que precisa.

Trava o envelhecimento

Com o passar dos anos, o nosso organismo perde cada vez mais água, o que afecta, sobretudo, a pele. No entanto, se bebermos o suficiente, o equilíbrio entre a água que possuímos e a que perdemos mantém-se, e a pele mantém-se jovem durante mais tempo.

Reforça a função protectora da pele

Para que se possa defender de agentes prejudiciais como o sol, o frio, o vento, a poluição ou as infecções, é fundamental que a pele mantenha um grau óptimo de humidade. Caso contrário, fica debilitada e exposta a todo o tipo de agressões, que a tornam irritável e sensível.

Uma água para cada necessidade

A água mineral distingue-se das outras águas pelo seu conteúdo em minerais. Devemos analisar bem a sua composição para escolher aquela que é mais benéfica para o nosso caso.

Diuréticas
Águas com baixos níveis de sódio. Têm um reduzido conteúdo neste mineral (menos de 20 mg/l), pelo que são ideais para pessoas que sofrem de retenção de líquidos, hipertensão, doenças cardiovasculares ou problemas hepáticos.

Infantis
Águas de mineralização débil. A sua reduzida quantidade de cálcio (menos de 150 mg/l) faz delas a melhor escolha para a preparação de alimentos infantis (leites e papas).

Dietas Pobres
Águas de mineralização forte. Águas com resíduo seco superior a 1.500 mg/l, muito ricas numa grande variedade de minerais, pelo que são recomendadas para pessoas com carências nutricionais causadas por uma alimentação pobre.

Aperitivas
Águas carbónicas. O conteúdo em gás pode ser natural ou acrescentado, e serve para estimular o apetite.

Digestivas
Águas bicarbonatadas. Com mais de 600 mg/l de bicarbonatos, têm um efeito neutralizante sobre a secreção gástrica, reduzindo a acidez.

Para a anemia
Águas ferruginosas. Com um conteúdo de 1 mg/l de ferro, combatem a anemia e actuam sobre as doenças da pele.

Para os ossos
Águas ricas em cálcio e magnésio. Com mais de 150 mg/l de magnésio, contribuem para a mineralização dos ossos e dentes. São muito recomendáveis durante a menopausa.

Com estes truques vai acabar com as olheiras que denunciam as suas longas noites de festa sem dormir…

Deixe que trabalhem por si
Fórmulas inteligentes com ingredientes poderosos como o pepino e a cafeína que trabalham na zona, melhorando a microcirculação sanguínea, ajudando a eliminar a retenção de líquidos, dissimulando olheiras e atrasando o aparecimento das primeiras rugas. Coisa pouca…!

Generoso, o suficiente
Os produtos são pequenos por uma razão. A quantidade que é necessária é mínima. Lembre-se que “menos é mais”! Ou seja, precisa apenas de um grão de arroz para ambos os olhos.

Cuidado com esses dedos!
Não se trata de “amassar” a pele, mas sim de aplicar o produto com gentileza. O osso ocular será o seu guia. Comece do interior para o exterior. (Para os mais preguiçosos, recomendamos um contorno de olhos em roll-on).

Como um pró
Faça do contorno o último passo na sua rotina de cuidados. Sempre depois do hidratante, tanto de manhã como à noite. Todos os dias.

Cebola

É uma boa fonte de fibra, vitaminas e minerais, essenciais para o bom funcionamento do organismo. É rica em compostos enxofrados, que fazem parte do seu óleo essencial e que actuam sobre as vias respiratórias, melhorando a expectoração.

Para além das vitaminas C e E, contém flavonóides, entre os quais se destacam as antocianinas e a quercetina, todos eles compostos antioxidantes.

Mel

Os seus minerais são assimilados directamente e contribuem para a manutenção do esqueleto (cálcio) e para a regeneração do sangue (ferro).

Tem um alto poder nutritivo, pelo que é um substituto ideal do açúcar industrial ou refinado. As suas enzimas facilitam a boa assimilação de outros alimentos.

É um bom remédio contra a fadiga, pelo fornecimento de hidratos de carbono de absorção rápida e pela fácil reposição das reservas gastas.

Chá verde

Esta bebida é apreciada há mais de 5.000 anos nas culturas orientais. É rica em polifenóis, bioflavonóides e vitaminas A, C e E, o que a torna num elixir antioxidante e anticancerígeno.

Reforça o sistema imunitário, protegendo o organismo de bactérias e vírus prejudiciais. Ajuda a reduzir a gordura corporal e previne as doenças cardíacas. Regula o nível de colesterol.

Peixe azul

Prolonga a vida das nossas artérias graças aos seus ácidos poli-insaturados (sobretudo o ómega-3), muito benéficos para o sistema cardiovascular. É rico em minerais e vitaminas, tendo, portanto, uma boa acção antioxidante.

Tem único senão. As espécies provenientes de águas poluídas (sobretudo as que andam menos á superfície) contém mercúrio, um metal pesado que se for ingerido de forma crónica é prejudicial para o organismo.

O mais recomendável é ingerir peixe entre quatro a cinco vezes por semana e variar o mais possível as espécies: cavala, sardinhas, salmão, atum, truta, anchovas, arenque...

Azeite virgem (e azeitonas)

Tem um alto teor de ácido oleico, uma gordura monoinsaturada rica em vitaminas A, D, K e, especialmente, em E, que actuam como antioxidantes.

Reduz o risco de doenças cardiovasculares e controla a tensão arterial. Favorece a absorção de cálcio, fósforo, magnésio e zinco, tendo por isso um papel importante ao nível da formação e manutenção de ossos fortes e saudáveis.

Alho

Tem propriedades anti-sépticas, antifúngicas e antimicrobianas, melhorando a resposta a vírus e bactérias e fungos.

Tem propriedades anti-inflamatórias e antioxidantes, contribuindo para reduzir o envelhecimento e a degeneração celular, que está na origem de alguns tipos de cancro.

Ajuda a reduzir os níveis elevados de pressão arterial. Reduz o chamado mau colesterol (LDL), aumenta o colesterol bom e previne problemas de disfunção eréctil no homem.

Chocolate preto

Tem uma grande actividade antioxidante graças aos seus flavonóides, combatendo os sinais do envelhecimento.

Beneficia a dilatação das artérias e o aumento do seu diâmetro. Para além disso, diminui a rigidez aórtica em cerca de 7%. Actua como um antiplaquetário eficaz, prevenindo a formação de trombos.

Estimula as funções cerebrais graças à fenetilamina, um alcalóide que actua como neurotransmissor cerebral.

Frutos secos

Contêm proteínas (entre 14% e 19%), vitaminas do grupo B, aminoácidos, minerais, ácidos gordos poliinsaturados (nozes), ácidos gordos monoinsaturados e fibra.

Segundo Tiago Osório de Barros, "as proteínas são imprescindíveis na preservação e formação das estruturas musculares". As amêndoas, as nozes e as avelãs são as que têm melhores propriedades antioxidantes por causa da sua maior concentração em vitaminas.

Soja

Contém vitaminas A e E, e três do grupo B (B1, B2 e B5). A vitamina ajuda a conservar os epitélios celulares, que revestem as superfícies do corpo e dos órgãos. A vitamina E tem um efeito antioxidante, combatendo os radicais livres.

Possui mais minerais do que qualquer outra leguminosa, sobretudo potássio e fósforo. A relação cálcio-fósforo é essencial para uma boa estrutura óssea. O potássio tem uma importante acção a nível muscular.

Ajuda a prevenir alguns tipos de cancro, sobretudo na mulher após a menopausa. Alivia os sintomas da menopausa.

Espinafres

Têm provitamina A e vitaminas C e E, todas elas antioxidantes. São uma fonte inesgotável de vitaminas do grupo B, como folatos, B2, B6, B3 e B1, que possuem uma acção anti-envelhecimento pelo seu papel como co-factores enzimáticos.

Relativamente ao seu conteúdo mineral, os espinafres são ricos em ferro, magnésio, potássio, sódio, fósforo e iodo. Para além das vitaminas, são ricos noutras substâncias antioxidantes como o glutatião, os ácidos ferúlico, o cafeico e o beta-cumárico e carotenóides.

Brócolos

O zinco que contêm favorece a função da próstata e a qualidade do esperma. Muito ricos em luteína, reduzem ligeiramente os efeitos da degenerescência macular da idade (DMI).

São ideiais para grávidas, convalescentes, pessoas anémicas, etc... por causa do elevado aporte de ácido fólico e ferro. Actuam como fitoestrogénios na menopausa (tal como a soja).

Presunto

O presunto protege o coração e reduz o colesterol, desde que não seja excessivamente gordo nem demasiado salgado.

Os seus ácidos gordos monoinsaturados e o ácido oleico previnem as doenças cardiovasculares. Tem cerca de 40% de proteínas, pelo que pode substituir a carne nas refeições, sendo importante na formação da massa muscular.

Tem vitamina E, um potente antioxidante. Também é rico em cobre (essencial para os ossos e cartilagens), ferro e fósforo.

Tomate

Para além de estar bem provido de vitaminas, minerais e flavonóides, contém licopeno, um dos antioxidantes mais poderosos, que lhe dá a cor vermelha e tem "um papel antioxidante activo na degenerescência celular que conduz ao envelhecimento", explica o nutricionista Tiago Osório de Barros.

Fortalece as paredes celulares, depura o organismo de substâncias tóxicas e aumenta as defesas.

Previne o aparecimento de doenças do coração e dos seus vasos sanguíneos, é benéfico para a visão e melhora a saúde do sistema nervoso.

Abacate

Tem 10 vitaminas, entre elas, a vitamina E e o ácido fólico (B9), e glutatião, um derivado proteico com acção antioxidante (combate a degeneração celular).

Contém 10 ácidos gordos, dos quais cinco são mono e poli-insaturados, com destaque para o ómega-9, ómega-7, ómega-6 e ómega-3, sendo este último protector contra o cancro.

Também contém sitosterol, que previne a acumulação de colesterol. Possui, para além disso, aminoácidos essenciais (arginina, fenilalanina, lisina...), fundamentais ao normal funcionamento do organismo.

Quivi

Originário da China, contém ácido propeolítico, que melhora a circulação e a ajuda a combater o chamado mau colesterol (LDL). Possui uma enzima chamada actidina, que ajuda a digerir as proteínas.

O seu conteúdo elevado de vitamina C ajuda a prevenir constipações. A vitamina C é um antioxidante que elimina os radicais livres e desempenha um papel fundamental no combate ao envellhecimento.

Contém uma quantidade considerável de fibra, potássio, ferro, fósforo, cálcio, magnésio e crómio, que têm um papel muito importante na prevenção de doenças cardíacas.

Alimentos queima-gorduras

Veja o que deve comer para perder peso e ficar com o corpo que sempre quis

Têm vitaminas, minerais e outros nutrientes importantes. Mas, neste artigo, vamos falar destes alimentos porque: ou têm menos calorias do que aquelas que o organismo gasta a digeri-los, ou porque possuem alguma substância que ajuda a eliminar as gorduras e líquidos acumulados.

Trata-se, portanto, de alimentos que não só não engordam, como nos ajudam a eliminar os quilos a mais e melhoram o estado geral de saúde (não podemos esquecer que uma pessoa com excesso de peso tem muito mais possibilidades de desenvolver diabetes ou doenças cardiovasculares).

Redefina a sua silhueta com laranja, um fruto que elimina as gorduras que não se converteram em energia, com alcachofra, agriões, ananás... Agora que já sabe, inclua estes alimentos na sua ementa todos os dias. Comece agora mesmo.

Sabe-se que o organismo utiliza cerca de 200 calorias quando põe o sistema digestivo a funcionar. Portanto, se ingerirmos um alimento que nos dê menos do que essas 200 calorias, então não estamos a ingerir calorias, a não ser as que vamos queimar.

E isso acontece, mesmo que comamos até ficarmos cheios. Por exemplo, se comer meio quilo de beterraba cozida, que tem 90 calorias, como o seu corpo gasta 200 calorias só ao digeri-las, na realidade, estará a comer menos 110 calorias!

O problema é que o seu corpo não pode viver apenas com estes alimentos, pois precisa de uma alimentação rica e variada para permanecer saudável.

Alimentos que emagrecem*:

    Agrião cru
    Calorias por ½ kg: 115
    Calorias ingeridas: -85

    Aipo cru
    Calorias por ½ kg: 55
    Calorias ingeridas: -145

    Alcachofra cozida
    Calorias por ½ kg: 175
    Calorias ingeridas: -15

    Alface crua
    Calorias por ½ kg: 60
    Calorias ingeridas: -140

    Beterraba cozida
    Calorias por ½ kg: 90
    Calorias ingeridas: -110

    Brócolos cozidos
    Calorias por ½ kg: 110
    Calorias ingeridas: -90

    Cogumelos enlatados, escorridos
    Calorias por ½ kg: 60
    Calorias ingeridas: -140

    Courgette crua
    Calorias por ½ kg: 85
    Calorias ingeridas: -115

    Couve-flor cozida
    Calorias por ½ kg: 85
    Calorias ingeridas: -115

    Espinafres crus
    Calorias por ½ kg: 110
    Calorias ingeridas: -90

    Nabo cozido
    Calorias por ½ kg: 70
    Calorias ingeridas: -130

    Pepino cru
    Calorias por ½ kg: 85
    Calorias ingeridas: -115

Todos os benefícios do chá

É anticancerígeno, diurético e adelgaçante. Mas não só. Veja tudo o que esta bebida pode fazer por si

Não é um medicamento, mas os seus benefícios para o organismo são variados. Existem várias espécies de chá. Conheça as vantagens de cada um.

Os tipos básicos de chá, produzidos sobretudo na China, Índia e Ceilão, são provenientes da mesma espécie (camellia sinensis).

Distinguem-se entre si pelos processos de secagem e de oxidação (escurecimento das folhas devido à quebra de clorofila), o que determina uma ampla gama de sabores e aromas.

Verde
Produz uma infusão de cor verde jade e um suave e relaxante odor a verduras frescas. É o menos oxidado e, por isso, preserva uma maior quantidade de catequinas (fitonutriente com uma forte acção antioxidante).

Preto
É o mais aromático e o mais forte. As suas folhas em água a ferver produzem uma bebida castanha avermelhada com um aroma semelhante ao do malte.

Oolong
Considerado uma variedade intermédia entre o verde e o preto, pode apresentar três fases de oxidação: ligeira, moderada ou completa.

Branco
Resulta da infusão de chá com folhas jovens, que não sofreram efeitos de oxidação. É o mais suave e delicado (e também o mais caro e difícil de encontrar).

6 razões para o beber

1. É hidratante

Vários estudos descrevam o chá como uma fonte de hidratação por excelência, logo a seguir à água. Outros revelam que os consumidores apreciam o chá não só para matar a sede, mas também pelo seu sabor.

2. É antioxidante

Combate o envelhecimento, devido ao seu elevado conteúdo em flavonóides (fitonutrientes com forte acção antioxidante). Esta propriedade faz do chá um fiel aliado do coração, evitando a aterosclerose, reduzindo a tensão arterial e o risco de enfarte.

3. Tanto pode ser excitante como relaxante

De acordo com a nutricionista Helena Cid, "o chá contém L-teanina e baixos níveis de cafeína o que, para além de mais benéfico para a saúde, ajuda a manter a pessoa em alerta". Por outro lado, a L- teanina produz efeitos tranquilizantes no cérebro, induzindo o relaxamanto sem causar sonolência.

4. É anti-infeccioso

Os taninos (fitonutrientes com acção adstringente) não só conferem ao chá o seu sabor ligeiramente amargo, como também as suas qualidades antivirais e antibacterianas. Segundo alguns especialistas, combatem inclusive o vírus da gripe, o herpes simplex e a hepatite crónica.

5. É anticancerígeno

Os seus compostos, sobretudo os do chá verde, exercem um papel protector contra as células tumorais do pulmão, pele, próstata e estômago. Para além disso, actua contra agentes cancerígenos como as nitrosaminas.

6. Protege os dentes

Contém flúor, que contribui para o endurecimento do esmalte dentário. É por esta razão que os japoneses aconselham os seus filhos a beberem chá verde depois de comerem doces.

No entanto, não pode ser usado como substituto de uma boa higiene oral já que a desvantagem do chá é a de poder manchar os dentes.

Dieta anti-idade

Dieta anti-idade

Rejuvenesça o seu corpo por dentro e por fora, seguindo um regime que pode adaptar às suas preferências e necessidades

Não dorme bem, tem dificuldade em emagrecer, sente falta de energia, o seu intestino está mais preguiçoso...? Não deixe que o seu organismo envelheça mais rapidamente do que deveria.

Nesta dieta, vai encontrar as linhas mestras para comer bem, mantendo os sinais do envelhecimento e os quilos sob controlo. Vai sentir-se melhor do que nunca.

Para além de tirar-lhe alguns quilos de cima (até 2 num mês), esta dieta vai ajudá-la a activar o seu organismo para que funcione como se tivesse 20 anos. A dietista Marisa Costa propõe um plano alimentar que ataca em cheio os radicais livres e evita o envelhecimento prematuro do nosso corpo.

Mais do que uma prescrição dietética, trata-se um protocolo de educação nutricional individualizado que permite adoptar uma alimentação equilibrada (adapta-se às necessidades fisiológicas e preferências de cada pessoa) e é muito saudável, uma vez que preserva a funcionalidade de todo o organismo.

Uma dieta para toda a vida

A dieta anti-idade é um programa nutricional que deve ser seguido indefinidamente para se obter todos os seus benefícios. Não está, por isso, limitada a um tempo determinado, procura sim que quem a adopta desenvolva o hábito de promoção da saúde que, idealmente, deveria ser mantido para toda a vida.

As regras da dieta

A dieta anti-idade assenta no efeito fisiológico e endocrino-metabólico promovido pelos nutrientes escolhidos, que actuam como verdadeiros medicamentos fisiológicos. O objectivo é abrandar ao máximo a perda de capacidade funcional que se produz no organismo com a passagem dos anos e que é o factor determinante do envelhecimento.

Para alcançar este objectivo, a dieta anti-idade propõe uma série de regras a seguir:

  • Aumentar o aporte de nutrientes e reduzir a densidade calórica da dieta.

  • Adaptar o índice glicémico e a carga de hidratos de carbono nas ementas diárias, de acordo com as suas necessidades.

  • Preferir as proteínas provenientes das leguminosas e do peixe e diminuir as da carne.

Desta forma aumenta-se a secreção de hormonas de crescimento e de testosterona. Nota importante: a implementação desta medida deve ser combinada com exercício físico. Ingerir alimentos ricos em ácidos essenciais ómega-6 e ómega-3 (peixe, frutos secos, azeite, mas sempre com moderação).

Conselhos dietéticos anti-idade:

  • Preferir gorduras boas. Sobretudo as provenientes do azeite virgem extra, do peixe azul e dos frutos secos. É preciso evitar as gorduras sólidas de origem animal e as dos alimentos pré-cozinhados.

    Para além disso, não devem nunca ser combinados com hidratos de carbono de alta densidade glicémica (pão, batatas, massa ou pastelaria).

  • Assegurar o aporte de cálcio: é fundamental para conservar a massa óssea. Recomenda-se ingerir, pelo menos, meio litro de leite por dia ou produtos lácteos, sempre magros ou meio gordo.

  • Cozinha saudável: na preparação dos alimentos, prefira grelhar, cozer ou assar no forno, utilizando especiarias (em detrimento do sal) para realçar o sabor. Deve limitar o uso de sal e não utilizar caldos comprados.

  • Beber muita água: entre 1,5 e 2 L por dia, de preferência depois das refeições ou fora delas.

  • Fazer cinco a seis refeições por dia: pequeno-almoço, meio da manhã, almoço, lanche, jantar e ceia.

Espuma de chocolate

Delicie-se com o bom sabor de um alimento que contribui para seu rejuvenescimento

O chocolate preto faz parte da lista de alimentos que rejuvenescem e esta é uma forma saudável de o degustar.

O bom aroma do café solúvel confere-lhe um toque de prazer adicional, que vai achar irresistível.

Revista pelos técnicos especialistas da Clínica Metabólica, em Oeiras, esta deliciosa receita contém apenas 130 calorias por dose, um valor bastante inferior à media das que costumamos consumir no final das refeições. Atreva-se, sem pisar o risco nem acrescentar gramas na sua balança.

Ingredientes
(8 pessoas)

100 g de chocolate negro (com mais do que 60% de chocolate) ou de culinária
1 colher (chá) de café solúvel
6 claras de ovo
60 g de açúcar em pó
raspas de chocolate para decoração

Preparação

1. Parta o chocolate em pequenos pedaços e coloque num tacho. Leve ao lume em banho maria. Vá mexendo gradualmente com uma colher de pau. Quando o chocolate estiver derretido, junte a colher de café. Mexa bem e deixe arrefecer.

2. Bata as claras em castelo, adicione o açúcar e junte à mistura de chocolate.

3. Distribua a mistura por taças individuais e leve ao frigorífico.

4. Decore com raspas de chocolate e sirva.